Você está na página: Home / Notícias / Começa o vazio sanitário da soja

Notícias

30/06/2016

Começa o vazio sanitário da soja

Começa na próxima sexta-feira, dia 1º de julho, o período do vazio sanitário da soja,que prosseguirá até 30 de setembro em todo o território mineiro.

Começa na próxima sexta-feira, dia 1º de julho, o período do vazio sanitário da soja, que prosseguirá até 30 de setembro em todo o território mineiro. Durante 90 dias estará proibido o plantio deste grão em todo o Estado, exceto para as situações previstas na legislação e desde que autorizado pelo Comitê Estadual para Controle da Ferrugem Asiática da Soja, presidido pelo IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária).

O IMA prevê fiscalizar aproximadamente 700 propriedades rurais em todo o Estado durante os 90 dias de vigência do vazio sanitário.

A medida está estabelecida pela Resolução nº 1.393/2015 da Seapa (Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Portaria nº 1503/2015 do IMA e tem o objetivo de prevenir e controlar a ferrugem asiática, praga causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi e que destrói a planta infectada.

Além da proibição de novos plantios, durante o vazio deverão ser exterminadas todas as plantas vivas remanescentes de safras anteriores, o que poderá ser feito com a utilização de produtos químicos ou outras formas de erradicação.

O produtor que for notificado pelo IMA por manter a planta na sua lavoura e que não exterminá-la em prazo de 10 dias após a notificação estará sujeito a multa de 1,5 mil Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs), o equivalente a R$ 4.516,35.

Este será o décimo ano consecutivo em que o vazio sanitário da soja é realizado em Minas, desde que foi instituído em 2007. O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, engenheiro agrônomo Nataniel Diniz Nogueira, argumenta que ao longo dos últimos nove anos o IMA fiscalizou 4530 propriedades rurais com plantações do grão em todo o Estado.

Do total fiscalizado o Instituto realizou 715 notificações, casos em que foi constatada a presença da planta na propriedade. Destes, somente 41 produtores receberam autos de infração, que são aqueles casos em que o agricultor, depois de notificado, não erradicou a planta no prazo de 10 dias estipulado pelo IMA.

"Estes 41 autos de infração emitidos em nove anos representam apenas 0,9% do total de propriedades fiscalizadas. É um número pequeno e demonstra que o produtor rural de Minas aderiu ao vazio sanitário, consciente da sua importância para que as lavouras estejam livres da doença e se mantenham produtivas", argumenta Nataniel Nogueira.

"É um trabalho em parceria entre o IMA, que orienta e fiscaliza, e o produtor, que cumpre a sua parte, pois sabe que é o braço direito do estado nesse processo de controle e prevenção à doença", enfatiza.

Nataniel Nogueira explica que o vazio sanitário permite que as lavouras permaneçam 90 dias sem os pés de soja e, dessa forma, que estejam livres dos hospedeiros, evitando ou diminuindo a incidência da praga na safra posterior.

Ele relata que a disseminação da doença é feita pelo vento e que apenas uma planta com o fungo é capaz de reproduzir milhões de uredosporos (unidades de reprodução) com capacidade para atingir as plantações de diversas propriedades.

Safra

Minas Gerais é o sexto maior produtor de soja do Brasil, com 4,7 milhões de toneladas previstas para a safra 2016, um crescimento de cerca de 30% no volume de produção em relação às 3,3 milhões de toneladas de 2015.

Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e Seapa (Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

As principais regiões produtoras no estado são Noroeste, Triângulo e Alto Paranaíba. O grão é cultivado também no Sul de Minas e vem registrando expansão para o Sudoeste do Estado.

Veja também:

16/04/2018
Milho: Com foco no clima e na safra americana, mercado encerra semana com leves quedas na CBOT

16/04/2018
Revisões para baixo na safra de soja e milho na Argentina

16/04/2018
Milho: Com produtores retraídos, negócios são pontuais no sopt Publicado em 16/04/2018 09:58

25/01/2018
Posicionamento da Monsanto sobre ataque de lagarta em lavoura de soja com tecnologia Intacta RR2 PRO® em GO

25/01/2018
Queda das vagens está relacionada a stress climático e solo sem oxigenação

Veja mais

Voltar | Topo | Home

Agrológica
Unidade 1 - Primavera do Leste - MT - Avenida São Paulo, 1130 – Distrito Industrial - 66 3500 6300
Unidade 2 - Rondonópolis - MT - Av. Bonifácio Sachetti, 1896 - Distrito Industrial Augusto B. Razia - 66 3423 2249
Unidade 3 - Lucas do Rio Verde - MT - Avenida da Produção, Parque das Emas II, 2620 W - 65 3549 5464
Unidade 4 - Nova Mutum - MT - Av. Perimetral das Samambaias, 1920-W - Parque das Águias - 65 3308 4600
Unidade 5 - Confresa - MT - BR 158, Lote 5, Qd 01 - Residencial Babinski ll - 66 3508 1028
Unidade 6 - Sorriso - MT - Av. Dr. Ari Luiz Brandão, 1514 - Bairro Industrial Nova Prata - 66 3545 1494