Você está na página: Home / Notícias / Soja: Recuo tira R$ 1 bi de MT

Notícias

17/12/2015

Soja: Recuo tira R$ 1 bi de MT

Prejuízos impostos pela forte variação climática nas lavouras de soja, em Mato Grosso, começam a ser dimensionadas, tanto em sacas quanto em cifras

A conta que ninguém queria fazer e a notícia que ninguém queria ouvir, principalmente produtores, varejistas, lojistas e o governo do Estado, mas os prejuízos impostos pela forte variação climática sobre as lavouras de soja, em Mato Grosso, começam a ser dimensionadas, tanto em sacas quanto em cifras. Se as novas projeções do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que revisaram para baixo a produção e a produtividade da safra 2015/16 se confirmarem o corte foi de 1 milhão de toneladas cerca de R$ 1,058 bilhão vão deixar de circular de forma direta na economia do Estado, considerando a cotação de ontem à soja, base Sorriso, em R$ 63,50.

Os analistas o Imea deixam claro que a revisão divulgada na última segunda-feira, pode ser agravar, sobretudo entre janeiro e fevereiro. "Esse período será decisivo para a consolidação dos dados apresentados. No entanto, a continuidade de baixos volumes de chuvas pode trazer reflexos ainda maiores, tanto ao rendimento das lavouras por hectare plantado, quanto em soja que deixará de ser comercializada no Estado".

Conforme a terceira estimativa da safra 2015/16 de soja divulgada pelo Instituto, diferentemente das duas primeiras projeções, na estimativa de dezembro a nova temporada não se apresenta mais recorde, que a projeção passa a ser 0,19% inferior ao saldo da safra anterior e a produtividade apontada é a menor para os últimos três ciclos. Tudo conseqüência das instabilidades climáticas que vem sendo registradas desde o início da semeadura, em setembro.

A área semeada com a oleaginosa apresentou-se praticamente estável em relação ao levantamento anterior, permanecendo na casa dos 9,20 milhões ha, apresentando aumento de 2,1% em relação à safra passada. O que se percebeu foram pequenos ajustes de área entre as regiões produtoras de Mato Grosso.

"A influência do El Niño neste ano acabou gerando instabilidades climáticas em Mato Grosso desde o início da semeadura da nova safra de soja. O reflexo deste fenômeno, mesmo não tendo influenciado negativamente no tamanho da área da nova safra, acabou pesando sobre a expectativa de produtividade. Isso porque, as chuvas esperadas desde o início do cultivo do grão, em setembro, não foram compensadas nos meses seguintes. A nova estimativa reduziu em 3,6% a expectativa de produtividade da safra 2015/16 de soja, saindo de 52,6 sacas por hectare na estimativa de agosto para 50,76 sc/ha na de dezembro. Projeções do reflexo do clima de janeiro e fevereiro sobre o desenvolvimento da planta ainda é incerto, mas caso a nova projeção de produtividade se consolide será a menor produtividade desde a safra 2012/13 em Mato Grosso", destacam os analistas do Imea.

Com o recuo da produtividade e estabilidade da área, a produção da nova safra será refletida negativamente, com nova projeção de 28,03 milhões de toneladas apresentando-se levemente abaixo das 28,09 milhões de toneladas consolidadas na safra 2014/15 e recuando em cerca de 1,04 milhão de toneladas em relação à estimativa anterior para a safra 2015/16. Assim, mesmo com o Estado semeando a maior área de soja da história, percebe-se que o movimento de safra recorde ocorrido desde a safra 2009/10 não está sendo aguardado para a nova temporada. E caso haja de fato a quebra em sacas e de receita e cifras em circulação, que a safra também tem o recorde de ser a mais cara da história local, dificilmente, a safra 2016/17 retomará a posição de recordes, especialmente, em área plantada nos próximos anos.

Fonte FMC NEWS 

Veja também:

16/04/2018
Milho: Com foco no clima e na safra americana, mercado encerra semana com leves quedas na CBOT

16/04/2018
Revisões para baixo na safra de soja e milho na Argentina

16/04/2018
Milho: Com produtores retraídos, negócios são pontuais no sopt Publicado em 16/04/2018 09:58

25/01/2018
Posicionamento da Monsanto sobre ataque de lagarta em lavoura de soja com tecnologia Intacta RR2 PRO® em GO

25/01/2018
Queda das vagens está relacionada a stress climático e solo sem oxigenação

Veja mais

Voltar | Topo | Home

Agrológica
Unidade 1 - Primavera do Leste - MT - Avenida São Paulo, 1130 – Distrito Industrial - 66 3500 6300
Unidade 2 - Rondonópolis - MT - Av. Bonifácio Sachetti, 1896 - Distrito Industrial Augusto B. Razia - 66 3423 2249
Unidade 3 - Lucas do Rio Verde - MT - Avenida da Produção, Parque das Emas II, 2620 W - 65 3549 5464
Unidade 4 - Nova Mutum - MT - Av. Perimetral das Samambaias, 1920-W - Parque das Águias - 65 3308 4600
Unidade 5 - Confresa - MT - BR 158, Lote 5, Qd 01 - Residencial Babinski ll - 66 3508 1028
Unidade 6 - Sorriso - MT - Av. Dr. Ari Luiz Brandão, 1514 - Bairro Industrial Nova Prata - 66 3545 1494