Você está na página: Home / Notícias / Exportações deixam de ser saída para a crise com a valorização do real

Notícias

15/08/2016

Exportações deixam de ser saída para a crise com a valorização do real

Setor agropecuário vê ponto positivo na "queda"do dólar

A valorização do real pegou a indústria brasileira de surpresa. Soou como "presente de grego" a depreciação do dólar desde o início do ano, que empurra para baixo a competitividade das empresas nacionais, tanto no mercado externo quanto no interno.

Neste ano, a moeda americana saiu do patamar próximo de R$ 4,20, em janeiro, para R$ 3,14, ontem. A queda de aproximadamente 25% na cotação jogou uma ducha de água fria no setor produtivo, que, apostando na continuidade da alta do dólar ante o real do ano passado, promoveu uma reorganização e passou a enxergar o mercado externo como válvula de escape para uma das mais profundas crises econômicas, senão a mais profunda, da história do Brasil.Entre os empresários, o sentimento é um misto de frustração e preocupação.

"Depois de um período terrível, começamos a experimentar uma fase de mudança, com um dólar mais favorável. A moeda estava ajudando, inclusive, na exportação de manufaturados, que são produtos com maior valor agregado. Mas infelizmente esse alívio foi interrompido", diz o presidente do Conselho de Política Econômica da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Lincoln Gonçalves Fernandes.

Segundo ele, muitas empresas fizeram planos imaginando que o dólar estivesse muito mais próximo de R$ 4 do que dos R$ 3, como hoje."A valorização do real corrói o resultado das exportações, especialmente em um cenário de desestruturação do parque (fabril) brasileiro", afirma. No primeiro semestre do ano, a indústria mineira acumula um tombo de 11% no faturamento.

Para Fernandes, também não "cola" o discurso de que o câmbio sirva de instrumento de controle inflacionário. "Tenho ouvido isso de entes do governo Temer. Mas isso é perigoso. Na verdade, o dólar nesse patamar gera uma perda do potencial de retomada do emprego", diz.

O presidente do Sindicato da Indústria Têxtil de Minas Gerais (Sindimalhas), Flávio Roscoe, também condena a desvalorização da moeda americana frente ao real.

"Isso é péssimo porque sofremos dos dois lados. Perdemos espaço fora para o produto da China, nosso principal concorrente, e também perdemos o clientes no nosso próprio mercado", lamenta. O planejamento financeiro das companhias também é prejudicado, uma vez que os preços calculados e feitos nas pré-vendas são afetados.

O setor agropecuário é um dos poucos na indústria que algum ponto positivo no dólar mais "baixo".

" uma perda de valor nas exportações, mas ao mesmo tempo conseguimos importar insumos, como fertilizantes e defensivos agrícolas, por um preço melhor", diz a coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (FAEMG), Aline Veloso.Como o momento é de colheita de café nas cidades mineiras, a recomendação aos produtores é escalonar a comercialização.

Veja também:

16/04/2018
Milho: Com foco no clima e na safra americana, mercado encerra semana com leves quedas na CBOT

16/04/2018
Revisões para baixo na safra de soja e milho na Argentina

16/04/2018
Milho: Com produtores retraídos, negócios são pontuais no sopt Publicado em 16/04/2018 09:58

25/01/2018
Posicionamento da Monsanto sobre ataque de lagarta em lavoura de soja com tecnologia Intacta RR2 PRO® em GO

25/01/2018
Queda das vagens está relacionada a stress climático e solo sem oxigenação

Veja mais

Voltar | Topo | Home

Agrológica
Unidade 1 - Primavera do Leste - MT - Avenida São Paulo, 1130 – Distrito Industrial - 66 3497 1600
Unidade 2 - Rondonópolis - MT - Av. Bonifácio Sachetti, 1896 - Distrito Industrial Augusto B. Razia - 66 3423 2249
Unidade 3 - Lucas do Rio Verde - MT - Avenida da Produção, Parque das Emas II, 2620 W - 65 3549 5464
Unidade 4 - Nova Mutum - MT - Av. Perimetral das Samambaias, 1920-W - Parque das Águias - 65 3308 4600
Unidade 5 - São José do Xingu - MT - Avenida Principal, 01 - Distrito Santo Antônio do Fontoura - 66 3508 1028
Unidade 6 - Sorriso - MT - Av. Dr. Ari Luiz Brandão, 1514 - Bairro Industrial Nova Prata - 66 3545 1494